Agnosticismo em Oncologia e os desafios impostos: a perspetiva do Prof. Doutor Mário Fontes e Sousa

08/06/22
Agnosticismo em Oncologia e os desafios impostos: a perspetiva do Prof. Doutor Mário Fontes e Sousa

Optar por um respetivo tratamento oncológico em função de uma alteração molecular e não “necessariamente” com base no tumor de origem evidencia-se como uma mudança de pensamento e implica, também, conciliar com os desafios do dia a dia que os profissionais da área da Oncologia têm de enfrentar. Este foi um dos objetivos apresentados pelo Prof. Doutor Mário Fontes e Sousa, na sessão “Agnosticismo em Oncologia, do conceito à prática”, na 12.ª Reunião de Oncologia da APFH. Assista ao testemunho do especialista em Oncologia Médica.

Considera ser importante que as pessoas estejam informadas e familiarizadas com alguns destes conceitos, uma vez que atualmente existem opções de tratamento aprovadas neste contexto e repercutidas nos doentes, afirma. No futuro, explica o médico, existirão desafios nomeadamente num panorama técnico em relação ao modo como se identificam os biomarcadores, onde é que se vai pesquisar e em que altura é que se pesquisam. De seguida, os desafios correlacionados com os custos e técnicas relativas à pesquisa dessas alterações; por fim, de que forma se concilia a presença dessas alterações com algumas das terapêuticas que estão em curso.

Um dos fatores mais relevantes apontados pelo Prof. Doutor Mário Fontes e Sousa “é o impacto que estas opções têm na doença”, apresentando-se com “elevada resposta e com respostas completas” e ademais com uma “duração de resposta muito longa nalguns casos”. Posteriormente, o desafio que se impõe passará pelo fator da resistência, sendo que o tumor “arranjará formas de ultrapassar estes tratamentos”, explica.

Vídeo

Partilhar

Publicações