CUF Academic Center realiza evento focado em Investigação Clínica

02/01/23
CUF Academic Center realiza evento focado em Investigação Clínica

A CUF Academic Center realiza, no dia 20 de janeiro, entre as 8h45 e as 17h15, no Auditório do Centro do Conhecimento do Hospital CUF Descobertas, as 1.ªs Jornadas de Investigação Clínica CUF. O encontro, que decorre também em formato webinar, pretende relevar o papel cada vez mais importante que a investigação científica assume a par com a atividade assistencial dos hospitais. A News Farma conversou com a Prof.ª Doutora Ana Serrão Neto, diretora médica do departamento de Estudos Clínicos da CUF Academic Center.

News Farma (NF)| A CUF Academic Center vai realizar a 1.ª edição Jornadas de Investigação Clínica. O que motiva a sua realização? E como tem sido criar a massa crítica necessária para dar corpo a este evento?

Prof.ª Doutora Ana Serrão Neto (AN)| A CUF é reconhecida pela sua qualidade assistencial, mas muitas pessoas desconhecem a investigação clínica que se realiza nas suas unidades de saúde. Entendemos que devíamos dar visibilidade a essa vertente, nomeadamente à investigação translacional.

Temos de ter consciência que é graças à investigação clínica que a medicina tem progredido no tratamento das doenças e dos doentes.

Por outro lado, a investigação médica contribui para a atualização científica dos médicos, a qual é essencial para as boas práticas clínicas.

Quanto à massa crítica, ela existe nos hospitais CUF, portanto só estamos a divulgar o trabalho que tem sido realizado. É importante estimular os médicos, em particular as novas gerações, a realizarem investigação clínica. Acreditamos que divulgar o seu trabalho é um incentivo.

 

NF| Realizando-se em formato híbrido, no dia 20 de janeiro, quantas pessoas estimam atrair a participação?

AN| Neste momento temos centenas de inscritos de diversas áreas profissionais. Mas mais importante que o número de participantes – que só por si é muito relevante – é o efeito multiplicador que esperamos que tenha. Conhecimento gera conhecimento, e esperamos que estas jornadas instiguem mais e melhor investigação. De salientar ainda que a CUF incentiva a atividade científica também nas áreas de enfermagem e técnica, como a psicologia.

 

NF| A Prof.ª Maria do Carmo Fonseca (Presidente IMM) é a conferencista de abertura das Jornadas, com uma intervenção sobre “A investigação clínica em Portugal – perspetivas futuras”. Porém, na qualidade de diretora médica – Estudos Clínicos da CUF Academic Center, que tendências e/ou mudanças na forma de fazer investigação são já identificáveis no vosso departamento?

AN| A pandemia COVID veio colocar a investigação clínica nas agendas científicas de todo o mundo. Ficou reforçada a importância da investigação clínica e dos estudos multicêntricos. Estão-se a fazer esforços internacionais de cooperação e de desburocratização.

Na CUF Academic Center estamos a dar passos concretos e firmes. Este ano de 2022 a equipa de investigação foi reforçada. A nomeação de uma diretora médica foi uma demonstração da importância que a CUF dá à investigação, nomeadamente aos ensaios clínicos. Assumi a direção dos Estudos Clínicos da CUF Academic Center apenas em abril deste ano.

Em vários hospitais CUF foi alargada a equipa de Study Coordinators, coordenadores de estudos, que são um pilar essencial nas equipas de investigação. Estes profissionais, com qualificações técnicas e científicas, licenciaturas e mestrados, colaboram com os médicos investigadores. São muitas vezes invisíveis, mas fundamentais. Têm a responsabilidade de um trabalho burocrático enorme na execução dos ensaios clínicos. Realizam a ponte entre os médicos, doentes e promotores dos estudos.

Acresce ainda a contratação de um administrativo especializado em submissão de estudos e de uma medical writer. Posso afirmar que estamos a prepararmo-nos para alavancar ainda mais a investigação clínica nas nossas unidades.

Muitas vezes não se imagina o detalhe burocrático associado à investigação. Os médicos têm uma atividade assistencial muito intensa, sem estas ajudas seria impossível fazer investigação. Até porque muitas vezes não há tempo especificamente alocado à investigação. Mas também nisso a CUF está a inovar e os jovens médicos interessados já são contratados com horas dedicadas à atividade científica. Com mais de 70 anos dedicada à medicina privada em Portugal, a CUF quer continuar a contribuir para mais opções terapêuticas para os doentes.

 

NF| Os programas destas jornadas enfatizam toda a produção científica feita “dentro de portas” ou projetos bolseiros. Na necessidade de seleção, quais foram os critérios para o alinhamento do programa?

AN| O principal critério foi abranger todos os tipos de estudos que realizamos,  já com resultados passíveis de serem divulgados. Por isso incluímos ensaios clínicos, estudos observacionais, teses de doutoramento apoiadas pela CUF. Destaco, também, que vamos apresentar teses de médicos, de enfermagem e psicologia fruto da bolsa D. Manuel de Mello, atribuída pela Fundação Amélia de Mello, em parceria com a CUF.

 

NF| Há, igualmente, uma sessão dedicada às questões legais e organizações para se iniciar estudos clínicos. Quão agilizadas se encontram estas questões, para motivar os investigadores? Há melhorias a assinalar com a introdução, ao nível da União Europeia, de novos protocolos?

AN| Esta questão é crucial, porquanto a maioria dos investigadores veem de forma desfavorável a dedicação do seu tempo a questões burocráticas. Como as exigências legais são muitas e minuciosas, ter o apoio de um administrativo treinado e em tempo completo é muito facilitador.

Mas a importância de incentivar e descomplicar o máximo possível a investigação clínica a nível europeu é notória pela implementação de um novo regulamento europeu, o qual entra em vigor em Janeiro de 2023.

 

NF| Para quem ainda não conhece, o que é a CUF Academic Center e de que forma é que esta entidade incentiva a realização de estudos e investigação clínica?

AN| A CUF Academic Center (CAC) assegura uma oferta diferenciada nas áreas de Formação, Ensino, Investigação e Simulação em Saúde. Pretendemos ser um centro de referência nacional e internacional na formação, ensino e investigação em saúde.

Temos como objetivos assegurar o desenvolvimento, atualização e aperfeiçoamento de competências dos profissionais de saúde. Estimulamos e dinamizamos a prática da investigação nos hospitais e clínicas CUF, disseminamos as melhores e mais inovadoras práticas em saúde. Queremos igualmente reforçar as relações com parceiros de referência.

A CAC quer contribuir para captar, reter e desenvolver talentos. A atualização dos nossos profissionais de saúde, permite o desenvolvimento sustentado das suas competências, com vista à melhoria contínua na prestação de cuidados de saúde.

 

NF| Como posiciona a importância de ter profissionais de saúde a desenvolverem as suas atividades de investigação científica, a par com a sua atividade assistencial nos hospitais?

AN| A investigação translacional, à cabeceira do doente, é fundamental para manter as boas práticas clínicas. A investigação tem por objetivo final a melhoria da saúde e do tratamento dos doentes. Sem ela não se progride.

Todos damos como adquiridos os benefícios, por exemplo, da insulina no tratamento da diabetes, dos antibióticos no tratamento das infeções, de todas as terapêuticas oncológicas, das vacinas que permitiram, inclusive, erradicar algumas doenças no mundo, mas é fácil esquecer que foi o trabalho de investigação, longo e minucioso, que esteve por detrás de todos estas conquistas.

 

NF| Quão desafiante poderá ser conciliar os dois tipos de atividades e como é que a CUF Academic Center agiliza e ajuda a superar os obstáculos inerentes?

AN| Não é efetivamente fácil, sobretudo em Portugal, pois ainda falta uma cultura generalizada de investigação e, por vezes, dificuldade em gerir o tempo dedicado à atividade assistencial vs. à investigação. Sinto que é necessário alocar mais horas de trabalho à investigação. Por fim, nem todos os médicos, ou outros profissionais de saúde, têm vocação para esta atividade. É preciso gostar. Mas a CUF está a motivar as novas gerações, estamos a fazer um trabalho para o futuro.

 

NF| Está prevista a realização de outros eventos nesta área da investigação clínica em 2023?

AN| A CAC realiza muitas jornadas científicas ao longo do ano, muitos cursos de simulação… convido os profissionais de saúde a visitarem a agenda que disponibilizamos no nosso site.

Partilhar

Publicações