Comunidade farmacêutica portuguesa ajuda refugiados ucranianos na identificação de fármacos similares entre as duas nações

09/06/22
Comunidade farmacêutica portuguesa ajuda refugiados ucranianos na identificação de fármacos similares entre as duas nações

Os cidadãos ucranianos refugiados em Portugal vão contar com o apoio das farmácias e farmacêuticos portugueses para identificar os medicamentos disponíveis no mercado nacional que são similares aos medicamentos disponíveis na Ucrânia. O objetivo é facilitar a sua jornada nos cuidados de saúde em Portugal.

O Centro de Informação do Medicamento e Intervenções em Saúde da Associação Nacional das Farmácias (ANF) preparou um documento para suportar a intervenção farmacêutica junto dos cidadãos ucranianos, disponibilizando procedimentos de apoio e ferramentas específicas de identificação de medicamentos similares nos dois países.

Tratando-se de medicamentos sujeitos a receita médica, o farmacêutico identifica a substância ativa e a sua correspondência em Portugal, encaminhando de seguida a pessoa, com essa indicação, ao serviço de saúde mais próximo, para poder aceder à avaliação médica e posterior prescrição.

Poderá também partilhar com o utente um link para informação sobre os medicamentos, em ucraniano, situação particularmente importante e urgente para as pessoas que vivem com doença crónica.

“As farmácias portuguesas estão na primeira linha de apoio e acompanhamento de pessoas que vivem com doença. É fundamental que os refugiados com doenças crónicas não suspendam a sua medicação e saibam que podem contar com este apoio dos farmacêuticos”, esclarece a Prof.ª Doutora Ema Paulino, presidente da ANF.

A Ordem dos Farmacêuticos (OF) constituiu também uma bolsa de farmacêuticos ucranianos a residir em Portugal, disponíveis para apoiar os colegas e restantes cidadãos ucranianos refugiados em Portugal no acesso à sua medicação.

Estes farmacêuticos portugueses com raízes ucranianas têm diferentes experiências pessoais e profissionais, fluência na língua e podem, igualmente, ajudar a avaliar equivalências e/ou alternativas terapêuticas no mercado português.

Partilhar

Publicações