Hospital de Santa Maria cria centro de ensaios de fase 1 para novos tratamentos contra o cancro

14/06/22
Hospital de Santa Maria cria centro de ensaios de fase 1 para novos tratamentos contra o cancro

O Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) assinou, no passado dia 9 de junho, um protocolo com o consórcio norte-americano START para o desenvolvimento de um centro de ensaios clínicos de fase 1 em Oncologia no Hospital de Santa Maria, com início de funcionamento previsto para setembro. 

Estes ensaios clínicos são responsáveis por identificar a segurança e os sinais de eficácia dos novos tratamentos numa fase muito precoce da experimentação em humanos e este será o primeiro centro a fazê-lo de forma sistemática em Portugal.

As descobertas científicas para o tratamento do cancro exigem um processo técnico altamente qualificado para que se possa testar pela primeira vez em seres humanos medicamentos que podem vir a ser considerados como novas alternativas terapêuticas. “A seleção de centros para investigação nesta fase é por isso extremamente criteriosa por parte dos detentores dos potenciais novos medicamentos”, explica o Prof. Doutor Luís Costa, diretor do Departamento de Oncologia do CHULN, investigador principal do Instituto de Medicina Molecular e coordenador do Centro de Investigação Clínica do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML). “Por outro lado, para os doentes que já não têm alternativas terapêuticas de acordo com o estado da arte médica, os ensaios de fase 1 são uma oportunidade para eventualmente colherem algum benefício de terapêuticas completamente novas."

O centro de ensaios clínicos START de fase 1 em Oncologia do Hospital de Santa Maria - START - Lisboa- estará operacional até final do ano e prevê-se que, quando estiver em pleno funcionamento, possa incluir cerca de 200 doentes por ano em ensaios clínicos. Faz ainda parte deste acordo a construção de um novo espaço que acolherá as instalações definitivas do START - Lisboa, próximo do Serviço de Oncologia Médica e do Serviço de Radioterapia.

O Dr. Daniel Ferro, presidente do Conselho de Administração do CHULN e do Centro Académico de Medicina de Lisboa, reforça que “esta é mais uma prova da diferenciação clínica e científica do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML) e da sua capacidade em atrair grandes projetos internacionais”.

Partilhar

Publicações