Investigadores da Fundação Champalimaud vencem 4.ª edição da Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo

21/10/22
Investigadores da Fundação Champalimaud vencem 4.ª edição da Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo

O projeto "Estudo do papel neuronal sobre a interação entre as células NK e o mieloma múltiplo (NeuriMM)", liderado pela Dr.ª Cristina João, investigadora responsável da equipa de investigação em mieloma e linfoma da Fundação Champalimaud, venceu a 4.ª edição da Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo. Trata-se de uma iniciativa da Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) e da Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH), com o apoio da Amgen Biofarmacêutica.

O prémio, no valor de 20 mil euros, permitirá, durante um ano, desvendar, numa primeira fase, "a arquitetura e distribuição das fibras neuronais na medula óssea (MO) dos doentes com mieloma múltiplo (MM)" e, numa segunda fase, "determinar a proliferação de células MM e os resultados de sobrevivência após modulação de células com neurotransmissores e neuropeptídeos presentes no microambiente da MO, utilizando ensaios avançados in vitro".

"Em conjunto, estas abordagens trarão novos conhecimentos sobre como a inervação neuronal muda nos doentes com MM e como estes sinais controlam a progressão da doença, tanto direta como indiretamente através das células imunitárias, abrindo caminho para a conceção de novas estratégias terapêuticas para o MM", salienta a Dr.ª Cristina João, responsável por uma equipa constituída por mais nove investigadores da Fundação Champalimaud.

"As evidências sugerem que as interações neurónio-MM e neurónio-NK controlam o desenvolvimento e a progressão do MM. No entanto, falta uma compreensão detalhada destes circuitos periféricos, o que dificulta o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas. Como tal, este estudo pode ser decisivo nessa compreensão e com futura aplicação no tratamento do MM. Parabéns aos vencedores, vamos ficar à espera dos seus preciosos contributos", realça Maria Gomes da Silva, vice-presidente da SPH.

"Os resultados deste estudo poderão ser uma importante peça do puzzle que falta para compreender melhor o comportamento do MM. Aguardamos com todo o interesse os seus resultados, sabendo desde já que a equipa da Fundação Champalimaud irá trabalhar com todo o profissionalismo e paixão neste projeto de investigação", sublinha o Prof. Doutor Manuel Abecasis, presidente da APCL.

"Foi com enorme satisfação que recebemos a notícia do trabalho vencedor desta 4.ª edição da Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo. É para nós um orgulho fazer parte deste percurso, em conjunto com a APCL e com a SPH, no qual se procura o caminho para descobrir e desenhar novas abordagens terapêuticas", conclui o Dr. Tiago Amieiro, diretor-geral da Amgen Biofarmacêutica.

Partilhar

Publicações